Loading...

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

ED, ED, ED, EDGOOOOLLLLLLL A FIGURA DO JOGO

Vá lá que Edgar, percebeu que a melhor defesa é o ataque e em mais uma ofensiva conquistou uma grande penalidade, evidente a falta de Luisinho, e assumiu a sua marcação. Eficácia garantida. Segundo tiro do brasileiro. Toscano, o tal do passe cerebral voltou a usar da cabeça, desta feita para o próprio se encarregar de fazer o quarto do Vitória aproveitando o cruzamento bem medido de Alex.

Mas a noite era mesmo para Edgar e o avançado tinha ainda mais uma munição. Na meia-lua aproveitou um calcanhar mal dado de Nuno Assis para chutar novamente e bater Cássio. Foi o quinto do Vitória, que fechou a contagem final.

Resultado expressivo em Paços de Ferreira, que terá conferido ao Vitória o armamento necessário para as batalhas que ainda podem ditar uma bom desfecho da guerra desta época. Um ponto por jornada é muito pouco, e este resultado expressivo antecedido de mais uma paragem no campeonato terá que ser decisiva para a escalada do Vitória na tabela classificativa. Segue-se o Desportivo das Aves, a contar para a Taça de Portugal.



Vá lá que Edgar, percebeu que a melhor defesa é o ataque e em mais uma ofensiva conquistou uma grande penalidade, evidente a falta de Luisinho, e assumiu a sua marcação. Eficácia garantida. Segundo tiro do brasileiro. Toscano, o tal do passe cerebral voltou a usar da cabeça, desta feita para o próprio se encarregar de fazer o quarto do Vitória aproveitando o cruzamento bem medido de Alex.

Mas a noite era mesmo para Edgar e o avançado tinha ainda mais uma munição. Na meia-lua aproveitou um calcanhar mal dado de Nuno Assis para chutar novamente e bater Cássio. Foi o quinto do Vitória, que fechou a contagem final.

Resultado expressivo em Paços de Ferreira, que terá conferido ao Vitória o armamento necessário para as batalhas que ainda podem ditar uma bom desfecho da guerra desta época. Um ponto por jornada é muito pouco, e este resultado expressivo antecedido de mais uma paragem no campeonato terá que ser decisiva para a escalada do Vitória na tabela classificativa. Segue-se o Desportivo das Aves, a contar para a Taça de Portugal.




Um autêntico míssil de Bruno Teles abriu o caminho; Toscano usou a cabeça para também ele fazer o seu tento; e Edgar deu três tiros certeiros. A fome deu em fartura e o Vitória venceu o Paços de Ferreira por cinco bolas a uma na Mata Real no jogo inaugural da jornada 10.

Rui Vitória, a exemplo do que aconteceu com Luís Miguel, apresentou exactamente o mesmo onze que no jogo anterior viu uma entrada a todo o gás do Paços de Ferreira. A resposta do Vitória foi dada com eficácia; Bruno Teles primeiro tentou e à segunda atirou mesmo um míssil para o fundo das redes pacenses.

Estava aberto o caminho para uma noite tranquila, que esbarrou num erro crasso de El Adoua que pouco minutos depois do golo inaugural deu de mão beijada o empate ao Paços de Ferreira. O Vitória voltou a mostrar a sua face desleixada em termos defensivos e foi para o intervalo empatado a uma bola.

Foi então que o homem da noite vestiu o fato de combate e chamou a si a responsabilidade do jogo. Toscano com um passe magistral, cheio de cérebro, isolou o avançado que gastou o primeiro cartucho e fintou Cássio antes de atirar para a baliza. Rui Vitória apressou-se a fazer entrar Leonel Olímpio e levou uma tremenda assobiadela dos adeptos Vitorianos na sua antiga casa.

Sem comentários:

Enviar um comentário